1° C – Conhecimento Bíblico

//1° C – Conhecimento Bíblico

1° C – Conhecimento Bíblico

Para que você seja um bom professor na sua igreja, é necessário desenvolver esse tipo de conhecimento, o conhecimento bíblico. No método dos 4Cs da educação cristã esse é o primeiro C, pois o conhecimento da palavra de Deus vem em primeiro lugar. Não existe educação cristão sem conhecimento Bíblico.

Em quase todas as igrejas cristãs existe um sistema de ensino, seja ele em células, em um culto durante a semana ou no domingo pela manhã (que é mais comum). As igrejas que ensinam pela manhã chamam esse momento de Escola Bíblica Dominical. No entanto, não importa quando e como acontece esse ensino, o mais importante é que devemos ter conhecimento da palavra de Deus.

Devemos conhecer a Bíblia em todos os sentidos, histórico, formação, conteúdo, significado e interpretação. Como professores devemos estar preparados para ministrar uma aula com fundamento bíblicos e consequentemente despertar a curiosidade dos alunos para conhecer o nosso manual de conduta.

Temos tempo para tudo, mas nunca temos tempo para ler a palavra de Deus. Ler a palavra de Deus é a atividade mais importante para todos os que têm compromisso com Deus. Muitos acham que somente professores da EBD e pregadores que tem a necessidade de ler a Bíblia. No entanto, a Bíblia deveria ser o livro mais importante de todos os que creem em Jesus como salvador.

Podemos observar que a maioria dos crentes não têm mais amor pela palavra, e os professores da EBD tem como obrigação incentivar os seus alunos a lerem a Bíblia diariamente. Mas como eu vou incentivar algo que eu não faço? Como eu vou falar para meus alunos ler a Bíblia se eu não leio? Como vou falar para eles aplicarem a palavra na vida deles se eu não aplico na minha?

A mudança tem que começar pelo professor. Leia mais a Bíblia, estude mais a Bíblia, medite mais na Bíblia e aplique mais a Bíblia na sua vida. Você verá a diferença que isso vai fazer na sua vida e se você é professor da EBD, você verá que sua aula vai melhorar muito.

Devemos conhecer alguns detalhes da Bíblia, tais como: quando ela foi escrita, como foi escrita, por quem foi escrita, como aconteceu o processo de compilação e formação do cânon do Antigo e do Novo Testamento.

Mas alguns dizem “eu leio, mas não entendo”.

A mensagem principal da Bíblia é de fácil compreensão, e todos os tem a capacidade de entender. No entanto, algumas passagens são difíceis de compreensão, e para isso é necessário um conhecimento de hermenêutica bíblica.

Hermenêutica bíblica é a arte de interpretar a Bíblia. Pelo fato da Bíblia ser um livro divino, não teríamos necessidade de interpretá-lo, pois Deus não iria se comunica com sua criação de maneira complexa. Porém a Bíblia também é um livro humano, pois foi escrito por homens, em situações reais da vida humana e com uma linguagem humana. Portanto, quando colocamos o aspecto humano, muita confusão é feita e há uma real necessidade de interpretar os textos sagados para que possamos entender realmente o significado do texto e a sua aplicação para os dias atuais.

Vou listar agora alguns problemas na interpretação bíblica e que deixa mais evidente a necessidade de fazermos a interpretação correta das escrituras. Antes de mais nada devemos entender que a Bíblia é um livro de difícil interpretação por ser um livro antigo, tem livros na Bíblia que foram escritos a 3400 anos atrás. Isso mostra que, na hermenêutica, precisamos tentar transpor vários abismos que se apresentam pelo fato de termos em mãos um livro tão antigo.

  1. O abismo do tempo

Como a Bíblia foi escrita a milhares de anos atrás, existe um abismo temporal que nos separa dos escritores e dos primeiros leitores. Seri muito bom está lá com Moisés e perguntar para ele o que ele quis dizer em certa passagem, mas isso não é possível. Esse abismo temporal nos leva aos outros abismos, pois a cultura, a língua e a literatura muda com o passar do tempo.

  1. O abismo geográfico

Outro problema que enfrentamos quando vamos interpretar a Bíblia, é o local na qual ela foi escrita. Estamos muito longe de Israel, Egito, Roma, Grécia, etc. Não temos a noção das distâncias percorridas, da vegetação do local, do clima, dentre outros fatores específicos da geografia local. Por exemplo, você sabia quem em Israel neva? Isso mesmo, e por uma boa do ano o clima é super agradável.

  1. O Abismo cultural

A questão cultural é muito importante, pois cada povo tem uma cultura específica, o que é normal para um é estranho para outro. Precisamos entender a cultura da época dos tempos bíblicos para entender algumas passagens de maneira correta.

  1. O abismo do idioma

Esse abismo é uma das maiores barreiras da interpretação bíblia, pois ao se traduzir um texto de uma língua para outra, há uma perda na força das palavras, o que compromete o real sentido dos textos. As línguas nas quais a Bíblia foi escrita – hebraico, aramaico e grego – possuem algumas características particularidades bem estranhas se comparadas à nossa língua. O alfabeto dessas três línguas é totalmente diferente do nosso. No hebraico e aramaico, a leitura é feita de trás para frente, além de não possuir vogais, somente consoantes. Dessa forma, para que haja uma interpretação correta dos textos bíblicos é necessário muitas vezes recorrer aos originais.

  1. O abismo literário

A maneira que os escritores bíblicos expressaram as verdades divinas é muito particular da época. Muitas partes da bíblia foram escritas em provérbios e parábolas, e essas formas são pouco usadas hoje em dia. Como a Bíblia foi escrita por cerca de 40 escritores, temos uma grande diversidade de estilos. Alguns escrevem em forma de romance, outros em provérbios, outros escreveram poesias, já no Novo Testamento temos as cartas. Para realizarmos uma boa interpretação devemos entender cada estilo literário e as figuras de linguagem usadas pelos escritores bíblicos.

  1. O abismo sobrenatural

A Bíblia é um livro sobre Deus, o criador do universo, que não pode ser explicado por palavras humanas e muito menos pela lógica humana. Por esse motivo algumas verdades como a doutrina da trindade e a humanidade, as duas naturezas de Cristo, a soberania de Deus e a vontade humana são difíceis de serem entendidas por nós. Muitas vezes vamos ver características humanas sendo dadas a Deus, tais como a mão de Deus, os ouvidos de Deus, etc., isso é chamado de linguagem antropomórfica. No entanto, devemos entender que para fazer uma interpretação correta devemos contar com a ajudo do Espírito Santo, pois afinal de contas foi Ele que inspirou os escritores bíblicos.

Conclusão

Ao estudar todos esses abismos, entenderemos iremos entender qual o sentido das escrituras para os seus primeiros leitores e consequentemente aplicaremos o texto de uma maneira prática em nossa vida. Mas não se preocupe, esse conhecimento vem aos poucos, com leitura de livros, cursos online, cursos ao vivo, ensinamentos na igreja, etc.

O Estudo da palavra de Deus é algo que nunca vai acabar, sempre estaremos aprendendo algo que podemos aplicar na nossa vida e ao mesmo tempo transmitir às outras pessoas para que todos venham ter o conhecimento dessa maravilhosa salvação.

 

Por Erberson Rodrigues Pinheiro

erberson@hotmail.com

www.ebdemfoco.com

 

Referências bibliográficas

ZUCK, Roy B. A Interpretação Bíblica, Editora Vida Nova, São Paulo.

By | 2018-03-02T17:22:13+00:00 março 2nd, 2018|Uncategorized|0 Comments